Sustentabilidade na Arquitetura e Decoração

Sustentabilidade na Arquitetura e Decoração

Os recursos naturais estão cada vez mais escassos. A atividade humana, quando irresponsável, promove impactos negativos imensuráveis na natureza. Habitats naturais são dizimados, a biodiversidade reduz significativamente, os resíduos sólidos se acumulam, e esses são apenas alguns exemplos do que o homem é capaz de fazer, do quanto ele pode causar danos ao meio ambiente. Foi nesse contexto, de preocupação extrema com o futuro das novas gerações, que o tema sustentabilidade passou a ocupar a mesa de debates na sociedade. E esse espaço já invadiu, inclusive, os campos da arquitetura e da decoração, requerendo dos profissionais dessas áreas uma atuação muito mais envolvida e congruente com princípios de preservação ambiental.

Pensar em desenvolvimento sustentável é pensar em uma forma de expansão econômica capaz de suprir as necessidades das gerações atual e futuras, que seja pautado na salvaguarda dos elementos da natureza. Então, promover a sustentabilidade nos segmentos de arquitetura e decoração é promover o consumo sustentável, que leve em consideração a realidade ecológica, e que seja, ao mesmo tempo, viável. E aí está o desafio, mudar a forma como as pessoas se comportam diante do consumo, porque o desenvolvimento sustentável exige planejamento, requer a participação conjunta de todos os protagonistas sociais, cada em seu segmento, atuando em prol de um objetivo comum.

Ao pensar em projetos arquitetônicos ou de interiores, o profissional precisa levantar as soluções capazes de reduzir os impactos ambientais, associando-as às reduções nos custos do orçamento do cliente. Estudar fatores como o estilo de vida do usuário daquele espaço, as condições geográficas e climáticas do local, as potencialidades do espaço e a possibilidade de reuso vão ajudar os profissionais a analisarem melhor quais alternativas sustentáveis são passíveis de dar certo naquele projeto. São inúmeras as formas de praticar sustentabilidade de maneira simples e com pouco custo, a exemplo da utilização de material reaproveitado, de madeira certificada e da aposta na iluminação e na ventilação naturais, dentre tantas outras.

E o conceito de sustentabilidade não está dissociado de elegância, requinte e conforto. É plenamente possível criar projetos sustentáveis que sejam altamente sofisticados e aconchegantes, basta usar a criatividade, o bom gosto e o bom senso. Até na fase de projeto, se houver necessidade de descarte de material, o profissional pode analisar as probabilidades e já idealizar o que pode ser reaproveitado.

A escolha desses materiais deve estar condizente com a qualidade que ele oferece para aquele uso específico. Tudo perpassa pela conscientização. Com conscientização, é possível construir um mundo cada vez melhor e mais preparado para as novas gerações. É só dar o primeiro passo e começar.